{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Demolidor e Wolverine: o confronto que você jamais imaginou ver. Resenha do clássico.




Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Nota: ao final do post, sketch com a nova versão de 2012 da capa dessa edição feita por Rick Leonardi. 

O que ocorreu após a impactante e trágica saga A Queda de Murdock, escrita e desenhada pelo mito Frank Miller? A resposta está na edição de Grandes Heróis Marvel - Demolidor e Wolverine. 
Mas qual é o ponto alto dessa edição da antiga Grandes Heróis Marvel? O conflito entre Wolverine e Demolidor? Mais detalhamento da luta moral que Matt Murdock vive ao ser um advogado e um vigilante? A presença de um assassino serial? A morte de várias crianças e jovens? Verdade seja dita, todos esses são pontos inesquecíveis dessa trama. 
E o que levou a essa trajetória cheia de dramas pessoais e violência sem controle em pleno final dos anos 80? Segundo a história, o acaso. O Demolidor está vivendo à noite como um vigilante incansável, combatendo o crime. Wolverine, por sua vez, está como um cão que busca sem cansar a presa. Mas há um terceiro elemento tão perigoso quanto os dois: o Guerrilheiro. O personagem foi criado para essa história e ganhou destaque pela crueldade em seus atos, inclusive para com as pessoas que ele mesmo ama. 
Na época era algo incomum usar uma linguagem tão crua para mostrar as mortes e a frieza por trás delas. Relembro que o ano era 1988 (dezembro, no Brasil) e valer-se de recursos gráficos mais adultos e um conteúdo pleno de ação, violência e morte eram fatos pouco vistos pelos leitores da Marvel, DC e outras editoras. Vamos acrescentar então que as vítimas eram, na maioria, crianças e adolescentes, pessoas com vidas quase comuns, mas que se destacavam por terem dons especiais. Eram, afinal, mutantes. E por serem mutantes foram condenados à morte pelas mãos do Guerrilheiro.
Entretanto, há mais nuances por trás da narrativa. O Guerrilheiro não é um assassino solitário e quem o acompanha sofre com a face destruidora dele. Wolverine não é um simples cão de caça, pois ele tem motivações pessoais por trás do ódio que sente pelo matador. O Demolidor tem todos os problemas que uma vida dupla pode trazer: pessoas o amam como advogado e odeiam seu alter-ego ou vice-versa. 
Uma abordagem interessante foi a descrição das habilidades dos mutantes vitimados pelo serial killer. Eles não eram seres com força extrema, velocidade ou poder de voo. Eram simplesmente gênios em suas artes: desenho, poesia, música, dança... pessoas que poderiam ser os superdotados que vimos em programas de TV ou ouvimos falar. Seus dons não eram capazes de defendê-los de um homem que mata por prazer, mas eram dons que trariam benefícios à humanidade nas artes.
Enfim chegamos ao já anunciado conflito entre Wolverine e Demolidor. O primeiro quer eliminar o predador. O segundo quer prender, talvez para tentar um tratamento que o tire desse caminho de sangue. Mas não há como evitar que essas duas vertentes de pensamento e ação se confrontem. Cada um tem sua razão e motivação e isso provoca o combate entre dois homens de bem. Logan quer eliminar o mal, Matt deseja corrigir e tentar dar uma segunda chance. O confronto é sangrento.
Ao fim dessa luta, o Guerrilheiro está extremamente queimado e Matt Murdock tem que se deparar com a esposa do assassino que desconhece a identidade secreta dele. Ela culpa o Demolidor pela sina de seu marido, jogando o ex-advogado em um limbo de culpa. Novamente a vida do Homem sem Medo se mostra muito difícil.

O que há de novo?

Essa HQ é curta e acabou se perdendo no tempo. Grandes sagas como Guerras Secretas, Guerra Civil e outras tomaram espaço e marcaram por englobar a quase totalidade dos heróis e vilões. Essa edição de GHM é especial por mostrar um lado diferente da perseguição aos mutantes. Não há um "mandante" para o serviço do Guerrilheiro. Ele mata seguindo uma lista. Suas vítimas são indefesas e só trariam benefícios à humanidade. Não são os clássicos mutantes dos quadrinhos com poderes e visual diferente, mas pessoas normais com dons que nós, atualmente, classificamos como superdotados. 
A perspectiva das mortes também choca. O Guerrilheiro é sádico, cruel e em um dos assassinatos ele arranja o corpo da vítima entrelaçado em uma grade, uma bailarina, para aparentar que está dançando. Cada uma das mortes vai liberando o lado ruim de Logan até que este chegue a ser um assassino tão frio quanto o próprio Guerrilheiro.
Em contrapartida, o Demolidor sofre por não poder mais advogar. Sua vida foi destruída pelo Rei do Crime, algo que ele já está adaptado, porém faz falta para as pessoas que estão próximas a ele. Há uma passagem muito boa na narrativa onde Matt "vê" um garoto mergulhar para pegar seu barquinho em um lago e ele tem seus olhos cegados por produtos químicos. Quando indagado pela polícia - ele não usa os óculos escuros - percebe-se que ele é cego e seu depoimento perde a credibilidade. Logo, resta apenas seu alter-ego para ajudar o menino e ajudar a si mesmo, já que o remorso ficou instalado em sua alma.
Enfim, se vocês não tiveram a oportunidade de ler esta pérola das HQ, usem os recursos que estão ao seu alcance para fazê-lo. Essa é uma obra com recomendação total do Apogeu.
GHM: Demolidor vs Wolverine tem roteiro de Ann Nocenti, desenhos de Rick Leonardi e arte final de Al Williamson.

 























←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário