{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Chinesas prendem cabelo no teto para não dormir enquanto estudam visando vaga na universidade





Fonte: Livros e Pessoas. Comentários: Franz Lima
Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo. #apogeudoabismo

A concorrência nos vestibulares e nas universidades chinesas é imensa: milhões de candidatos lutam todos os anos por vagas nas universidades do país oriental.
A única opção dos estudantes é encarar jornadas de até 16 horas de estudo por dia para conseguir aprovação nos exames. As meninas chinesas acharam um jeito inusitado de estudar por horas a fio sem adormecer.
Elas prendem o cabelo ao teto para evitar cochilar. Cada vez que elas adormecem, levam um puxão no cabelo e, assim, despertam. O método criado pelas estudantes universitárias ganhou muitas adeptas, pois milhares de outras garotas também postaram suas fotos com o macete na rede social Weibo – uma versão chinesa do Twitter, – conforme noticia o jornal O Globo.
A ideia virou mania na China depois que Chen Tang, de 21 anos, postou uma foto fazendo o uso da técnica. Chen desenvolveu a ideia com a sua companheira de quarto, Huang Lu, de 22 anos. Elas estudam numa universidade da província de Fujian, no sudeste da China. Ligar o ar-condicionado e tomar doses cavalares de café já não surtia efeito, contaram elas ao jornal inglês Daily Mail.
De acordo com as universitárias, elas estudaram métodos de antigos estudiosos chineses para manter a concentração. Um dos exemplos era prender os cabelos do dorminhoco no teto. Chen e Huan adaptaram a ideia com prendedores de roupa. Chen diz que a técnica dá resultado: “Os estudos são tão cansativos, que a prática do cabelo pendurado o torna mais interessante e eu me sinto muito mais disposta desta forma”. Curtiu a ideia?
Franz diz: eu sei que muitos dirão que é exagero ou um sacrifício grande demais. Entretanto, diante da concorrência absurda em seu país, estas garotas acabaram mostrando que o foco e a dedicação para se alcançar uma meta são válidas. Os resultados virão conforme o estudante (nesse caso) tenha força de vontade suficiente para sacrificar seu tempo ocioso e até a própria saúde para atingir sua meta. Isso não é tortura, é desejo de ser alguém, de alcançar um patamar muito difícil à custa de muito suor e horas de dedicação. Isso é foco!
Enquanto isso, no Brasil, estudantes não conseguem sequer chegar no horário certo para prestar o vestibular. Muitos não minimizam os acessos às redes sociais. Quer progredir? Então tenha em mente que o maná pode até cair do céu, mas ao preço de muito sacrifício e vontade. Essas estudantes estão em uma rotina estressante e cansativa, porém os frutos serão colhidos no futuro. Elas são um exemplo... Siga-as!

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário