{lang: 'en-US'}

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Hiperrealismo e ternura nas estátuas de Patricia Piccinini no CCBB.




Texto: Franz Lima

Seguindo a linha hiperrealista de Ron Mueck, Patricia Piccinini iniciou uma exposição no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Um detalhe, entretanto, a põe em outro patamar quando comparada a Mueck: suas estátuas são chocantes e mostram criaturas híbridas de homens e animais. Há algo em suas obras que lembra as criações de Guillermo del Toro. 
As obras expostas no CCBB de São Paulo já começaram a produzir seus efeitos. Há quem sinta, inicialmente, repulsa pelas criaturas, porém isso rapidamente ganha ares de ternura. A explicação? A serenidade contida em cada uma das cenas arquitetadas pela artista. 
A artista tem em suas obras não só uma fantástica coleção hiperrealista. Cada uma das esculturas é um exercício de reflexão sobre nossos conceitos de beleza e o impacto do estranho e do feio sobre nossas reações e sentimentos.  Também é visível a abordagem sobre a solidão, a maternidade e o acolhimento.  Alguns irão apontar o trabalho de Patricia como surrealista, mas isso é irrelevante. O que conta, no final, é a reflexão sobre nossos atos e reações diante do diferente.
Para refletir...
A exposição chamada Comciência ficará no CCBB de São Paulo (Rua Álvares Penteado, 112 - Telefone: 11-3113-3651) no período de 12 de outubro de 2015 a 04 de janeiro de 2016. Os horários da exposição são de 9h às 21h, sempre de quarta a segunda-feira, com total gratuidade.













←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário