{lang: 'en-US'}

domingo, 5 de janeiro de 2014

Grupos católicos se posicionam contra os humoristas do Porta dos Fundos.




Fonte: MSN

SÃO PAULO - Diversos grupos católicos desaprovaram as esquetes do Especial de Natal do 'Porta dos Fundos' - no qual os humoristas retratam a vida de Jesus de forma cômica - e deram início a uma campanha contra o grupo de humor na web.
Os incomodados com o caso estão organizando uma petição online para que uma marca de cerveja deixe de patrocinar o programa, segundo o site 'Notícias da TV'.
Até o fim da tarde da última sexta-feira (3), 14,5 mil pessoas já tinham assinado o documento intitulado 'Diga à Itaipava para deixar de apoiar o ataque ao Cristianismo!'.
Os católicos também pedem para que as pessoas denunciem o 'Porta dos Fundos' à Polícia Civil do Rio de Janeiro por suposto crime de 'preconceito e ódio à religião'.
Incomodado com a postura dos humoristas, o missionário Anderson Reis fez um vídeo mostrando seu desapontamento e ameaçando processar os artistas por violação ao Código Civil ao 'vilipendiar objeto ou culto religioso'.
Para quem ainda não viu, na produção humorística José (Antonio Tabet) diz que Maria (Julia Rabello) não é mais virgem e tem ciúme de Deus (Rafael Infante). Jesus (Gregorio Duvivier), por sua vez, cresce e aparece com uma namorada - Maria Madalena -, que trabalha 'na esquina', dá uma 'carteirada' para entrar em uma taberna para fazer a última ceia e, ao ser crucifixado, reclama que a cruz não é de mogno. 

Franz diz: o pessoal do Porta dos Fundos já deveria estar ciente de que quaisquer brincadeiras envolvendo religião - não só a católica - estariam sujeitas às represálias. O assunto sempre foi polêmico e em alguns países pode gerar muito mais que simples protestos. 
Curto demais o humor deles e não vejo motivos para o alarde, porém respeito as críticas que católicos e outras denominações cristãs venham a fazer. Os valores que eles buscam manter não devem ser desrespeitados, mesmo se tratando de humor. 
Eu não me ofendi com os vídeos, mas sempre haverá quem trate isso como ofensa. 
Enfim, faz parte da arte de representar ter que conviver com as críticas.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário