{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Agência Nacional de Segurança (NSA) está protegedo quem? A crise dos espiões.




Não sei se essa declaração parecerá arrogante, mas alguém acreditou - por um único segundo sequer - que os EUA iriam abandonar a prática histórica de espionar o mundo? Quantos de vocês se surpreenderam com a manutenção da política de protecionismo e com tons imperialistas que lá existe? 
Espionagem entre países é uma prática comum que ganhou ares de filmes com o advento da guerra fria. De lá para cá, as investigações, roubos de informações e as invasões de privacidade de pessoas comuns ou de políticos e outros de maior influência são gestos comuns e corriqueiros. 
Será que os governos da Alemanha e do Brasil irão comprovar que não praticam espionagem em vários níveis, inclusive nos EUA? O trabalho de nossa espionagem - aqui carinhosamente apelidada de 'arapongas' - é o mesmo, mas em menor escala devido às muitas deficiências de treinamento e material, o que não lhes tira a alcunha de espiões ou ladrões de informações.
Nosso governo demonstrou indignação diante da infiltração na conta de e-mail da 'presidenta' Dilma, porém sou capaz de afirmar que eles já sabiam que isso ocorria com cidadãos comuns. Claro, o sapato apertado só dói em quem o usa...
Tenho certeza absoluta de que tais atos por parte da NSA são errados, o que não implica em dizer que irão parar por conta de protestos. Esse jogo de gato e rato sempre ocorreu e não sei quais os motivos para esse alarde. Eles querem investigar e invadir? Certo, que tentem fazer isso contra os melhores em criptografia do mundo. Pois se eu estivesse na liderança de um país do porte da Alemanha, certamente iria colocar o máximo de chaves possível em um simples e-mail dizendo "oi", só para atormentar a vida dos espiões ou seja lá que nomes usem. 
A Agência de Segurança Nacional (dos Estados Unidos) deveria ter o nome alterado para Agência de Segurança Internacional (ISA - International Security Agency), já que ela se preocupa tanto com o mundo. E essa história de que estão buscando evitar os prováveis prejuízos de terroristas e uso de armas nucleares é pura balela, simples desculpa para agirem acima do bem e do mal. 
Foram tais informantes que deram "base" para invasões, assassinatos de civis, apropriação indébita de bens móveis e imóveis, além do estabelecimento de bases militares avançadas, o que implica em dizer que o poderio de reação foi ampliado.
Alemanha e Brasil, além da recente invasão à Espanha, são vítimas de preconceito e temor. Os dois países tem grande potencial. Os alemães são temidos por seu passado bélico e isso está no ar até hoje. Os brasileiros estão descobrindo verdadeiras minas de ouro negro, o petróleo, e isso desperta o interesse das grandes potências. Contudo, o que importa é a quebra de uma amizade estabelecida oficialmente. Essa atitude de espionar um país aliado demonstra claramente que não há confiança, seja em tempos de guerra ou paz. Reflitam: se eles fazem isso com os amigos, o que farão com os inimigos?
Lamentável episódio... mas que está muito longe de um fim (se houver).


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário