{lang: 'en-US'}

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Privacidade com o GMail? Segundo o Google, isso não existe.




Fonte: Tecmundo.

Por: Caroline Hecke

Privacidade é a palavra do momento. Enquanto a tensão sobre os recentes escândalos de espionagem digital do governo dos Estados Unidos só aumentam, um documento da Google veio à tona, mostrando que usuários do Gmail não podem esperar ter qualquer tipo de privacidade em suas mensagens.
A Consumer Watchdog revelou um documento de junho deste ano que comprova que suas mensagens podem ser acessadas por uma “infinidade de motivos”, o mais comum seria a venda de anúncio para clientes.
No entanto, a moção apresentada pelos advogados da Google em um processo de grupo contra a empresa foi um pouco além e acabou revelando que não existe privacidade real para os usuários do Gmail.
“Assim como o remetente de uma carta a um colega de trabalho não pode ficar surpreso caso o assistente do destinatário abrir a carta, as pessoas que usam serviços de e-mail hoje, não podem se surpreender ao ter seus e-mails processados ​​pelos provedores do destinatário no curso de entrega”, diz o documento.
Até aí, nada é tão surpreendente, mas o que chamou a atenção da comunidade de tecnologia foi a frase que veio a seguir “uma pessoa não pode ter expectativas legítimas de privacidade na informação que envia voluntariamente a terceiros”, indicando que, além de serem processados, os dados podem ser coletados e lidos por outras pessoas.

Privacidade ou sistemas automáticos?

Para se defender, a Google diz que “estão tentando criminalizar práticas comerciais normais”, algo que a empresa vem tentando implementar por quase uma década, especificamente com a varredura automática de emails.
Ao mesmo tempo, os advogados da Google defendem que não existe uma interceptação ilegal, já que a varredura de conteúdo já está prevista dentro dos Termos de Uso e Política de Privacidade dos serviços da empresa.
Para eles, o que está sendo pedido em tribunal (o aumento da privacidade) poderia fazer com que os serviços fossem interrompidos. “Por exemplo, um provedor não poderia permitir que usuários classifiquem seus e-mails usando filtros automáticos, pois isso exige a verificação do conteúdo dos e-mails que estão sendo entregues aos usuários”.
Segundo a Google, o aumento de privacidade tornaria “impossível” para qualquer empresa de email fornecer serviços normais. Ao confirmar que os clientes não têm privacidade na rede, a Google entrou em uma guerra definitiva com os consumidores que já moviam ações contra a empresa.

Franz says: honestamente, nem as denúncias do Snowden me surpreenderam. É fato que são  raros os aparatos tecnológicos 100% confiáveis. Desde sorteios em loterias até os simples e-mails, passando por outros equipamentos e softwares, tudo que possa envolver um programa criado pelo homem, certamente, pode ser burlado.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. Ainda bem que uso pouco meu gmail....tenhou outros...mas também nem sei se posso confiar.

    ResponderExcluir