{lang: 'en-US'}

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Humor e consciência: a importância do respeito pelos semáfaros de trânsito.





Por: Franz Lima.
A ilustração acima pode aparentemente estar ligada à brincadeira, ao humor. Entretanto, não há nada de mais sério que o trânsito brasileiro, responsável por um número gigantesco de mortes. Os índices não poupam sequer as áreas rurais. Some-se a isso o fato de que, quando não há fatalidades, restam os espólios dos acidentes: invalidez, mutilações, famílias destroçadas. 
Pensando em tudo o que foi dito acima, resolvi lançar esse post no Apogeu. Alertar nunca é demais, principalmente quando o desrespeito pelas leis de trânsito geram tantos óbitos e perdas.
Valendo-se de um simples código de cores, o semáfaro (ou sinal, em algumas cidades) serve como agente controlador do fluxo de veículos e pedestres. Mas a pressa, as bebidas, o estresse e outros fatores acabam por provocar uma "amnésia" nos motoristas e pedestres.
A ironia da ilustração no começo do post está muito bem aplicada. Em uma situação normal, o vermelho significa 'pare', o amarelo indica 'atenção' e o verde sinaliza 'siga'. Só que não é bem assim...
Para os motoristas, apenas duas cores estão no semáforo: o verde e o vermelho. Quantos acidentes não foram provocados pela teimosia em se achar que dá pra passar no 'amarelo'?
Já o ciclista e o motociclista - mesmo não sendo regra - creem que é possível ser mais veloz e ágil que os demais veículos, fato que também provoca muitos contratempos e acidentes.
O pedestre é uma vítima que, entretanto, também tem uma parcela de culpa nos graves desastres. Apesar de estar sempre ligado ao trânsito - já que é o elemento mais frágil dessa complexa rede - ele se deixa levar pela pressa, ansiedade e raiva. Incontestável o número de feridos e mortos nesse caótico e intrincado labirinto que chamamos de trânsito. 
Finalizando, restam os cães (e demais animais) que sofrem atropelamentos - acidentais ou não - e ficam jogados em acostamentos, aguardando a morte chegar. Acrescente às estatísticas os animais atropelados que morrem e provocam a perda de vida dos passageiros do automóvel.
De todos os problemas e situações que citei, creio que é possível perceber que há um elemento em comum a todos: o ser humano. Os meios de transporte e as leis de trânsito, aliados à engenharia de trânsito, são melhorias, formas de minimizar distâncias e encurtar o tempo para que pais, mães, filhos retornem aos seus lares. É inaceitável que a total ausência de compaixão pelo próximo, a falta de respeito pela vida e outros problemas ou falhas de caráter sejam justificativas para tantas mortes e sequelas. Chega de desrespeito às leis, aos semáforos e à vida. Todos temos o direito de ir e vir em segurança. Todos temos o direito à vida...
Não desprezem as três cores que - dentro de sua simplicidade - são as responsáveis pela manutenção da vida ou a sentença de morte.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário