{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Emoção marca a promoção da primeira mulher na Marinha ao posto de Contra-Almirante.




Matéria originalmente publicada no G1. Texto de Janaína Carvalho.

Dalva Mendes é da primeira turma de mulheres oficiais a entrar na Marinha. Família de militar ressalta perfil conciliador e rígido da oficial.

Dalva Maria Carvalho Mendes recebe a nova platina do vice-almirante Celso Barbosa Montenegro (Foto: Janaína Carvalho)
Em uma cerimônia de pouco mais de cinco minutos, Dalva Maria Carvalho Mendes, a primeira mulher da história a ocupar um cargo de oficial general das Forças Armadas, recebeu a platina de contra-almirante na manhã desta segunda-feira (26). A solenidade foi realizada no Hospital Naval Marcílio Dias, onde Mendes trabalhou como médica anestesista durante muitos anos. Contra-almirante é a primeira patente entre os oficiais generais - as demais são vice-almirante, almirante de esquadra e almirante, sendo que este último, o mais importante, só existe em época de guerra.
Visivelmente emocionada, a contra-almirante afirmou que não fazia ideia do que a aguardava. “É uma alegria imensa, nem eu tinha ideia de que seria assim. É uma honra, estou muito feliz. Como militar, com certeza esse era o sonho da minha vida”.
Sobre o fato de uma mulher pela primeira vez ocupar o posto mais elevado das Forças Armadas, ela acredita que a natureza agregadora é o grande diferencial feminino em qualquer função. “Acho que a diferença é esse valor que nós mulheres trazemos a qualquer lugar que estamos. É a cordialidade e o respeito. Nós somos agregadoras de uma maneira geral”.
Além de ser a primeira mulher a ocupar o posto de almirante, Mendes também fez parte da primeira turma do corpo auxiliar feminino de oficiais da Marinha do Brasil, em 1981. Esse, segundo ela, foi o momento mais difícil da carreira. “Naquele momento inicial, tudo era novo. Eu sou da primeira turma e esse, sem dúvida, foi o momento mais difícil”, afirmou Dalva, enfatizando que nunca sofreu preconceito na marinha brasileira pelo fato de ser mulher. “Precisamos parar com essa mentalidade. Precisamos e estamos mostrando que nós temos capacidade e, em função disso, teremos o respeito de todos”.
Durante a cerimônia, Mendes recebeu a platina de contra-almirante do diretor de saúde da marinha e vice-almirante Celso Barbosa Montenegro. Os filhos também participaram da cerimônia e se disseram honrados em ver a mãe chegar a um lugar de destaque nas Forças Armadas.

“É uma sensação indescritível, até mesmo porque nunca tinha visto antes”, brincou a filha Luciana Carvalho Mendes, que segue os passos da mãe e atualmente é 1º tenente da Marinha. Segundo ela, a mãe chegou a esse posto devido a muito trabalho. “Ela é muito comprometida e dedicada ao que faz. Em alguns momentos ela precisou abdicar da vida familiar para se dedicar à profissão”, contou a filha.
Para o filho mais velho, Carlos Eduardo Carvalho Mendes, a mãe é um grande exemplo para outras mulheres. “Estou muito orgulhoso, não tenho como descrever isso. Minha mãe é um espelho para outras mulheres. Quem a conhece sabe a pessoa íntegra que ela é. E ela traz isso para dentro de casa e para o trabalho”, afirma o analista de sistema.
De acordo com o filho, a grande admiração que a mãe cativou das pessoas ao longo dos anos tem uma razão: “Ela sempre foi uma pessoa muita justa, que olhava para todos os lados e analisava as questões. Eu acho que ela faz isso no meio profissional e pessoal e é por isso que eu acho que ela tem tantos admiradores por onde passa”, afirmou Carlos, destacando ainda que, apesar de militar, Dalva sabe ser extremamente carinhosa, mas é exigente quando necessário. “Ela sabe ter aquele olhar onde não é preciso falar uma palavra feia para a gente saber o que ela quer”.

Dalva Mendes foi promovida a almirante pela presidente Dilma Rousseff na sexta-feira (23) e passou a vigorar no domingo (25). A decisão foi tomada após reunião com o ministro da Defesa, Celso Amorim, e os comandantes das Forças Armadas Julio Soares de Moura Neto (Marinha), Enzo Martins Peru (Exército) e Juniti Saito (Aeronáutica).

Terceiro posto mais importante da Marinha
A oficial Dalva deixou o cargo de capitão-de-mar-e-guerra para assumir o terceiro posto mais importante da Marinha, o de contra-almirante, que simboliza duas estrelas. O comandante da Marinha, chamado de almirante-de-esquadra, tem quatro estrelas. O posto de cinco estrelas só é assumido em caso de guerra.

O posto de contra-almirante que a oficial Dalva assumirá corresponde ao de general-de-brigada no Exército e ao de brigadeiro na Aeronáutica. Atualmente há 2.882 oficiais mulheres na Marinha, o que representa 33% do quadro total de oficiais, segundo informações da Marinha.
Além do nome de Dalva, Dilma assinou a promoção de outros oficiais das três forças, que deverão se apresentar à presidente, no Palácio do Planalto, porém sem data definida.
Perfil
A contra-almirante Dalva Maria Carvalho Mendes, 56 anos, é carioca, viúva, tem dois filhos e ingressou na Marinha em 1981. Médica anestesista, chegou ao cargo de vice-diretora do Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, em 2007. Em 2009, assumiu o posto de capitão-de-mar-e-guerra e atualmente é diretora da Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória.

Extrato do B.O.N.O. (Boletim de Ordens e Notícias) da Marinha do Brasil, de 26 de novembro de 2012:

COMANDANTE DA MARINHA
I – Promoção de Almirantes - Foram promovidos ao posto de Contra-Almirante, por Decreto Presidencial, contando antiguidade a partir de 25 de novembro de 2012, a Capitão-de-Mar-e-Guerra (Md) DALVA MARIA CARVALHO MENDES e o Capitão-de-Mar-e-Guerra OSCAR MOREIRA DA SILVA FILHO.

Franz says: não sei se todos sabem, mas sou militar da Marinha do Brasil. Conheço o trabalho desenvolvido pela agora Contra-Almirante Dalva e afirmo que a promoção recebida é merecida, principalmente por seu trabalho diante da Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória, onde o atendimento à criança especial é um dos destaques e um dos serviços de grande relevância que a Policlínica disponibiliza para militares e seus dependentes. Outra característica favorável é a transparência na gestão e o primor pelo atendimento sem distinção entre postos ou graduação. 
Desejo muito sucesso a ela e espero que esse avanço se extenda aos outros quadros que ainda não tem o privilégio de ascender ao Almirantado.


 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário