{lang: 'en-US'}

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Diante da Consciência. Por André Luiz.




Fonte: Isa Niella.

A vontade do Criador, na essência, é, para nós, a atitude mais elevada que somos capazes de assumir, onde estivermos, em favor de todas as criaturas.

Que vem a ser, porém, essa atitude mais elevada que estamos chamados a abraçar, diante dos outros? Sem dúvida, é a execução do dever que as leis do Eterno Bem nos preceituam para a felicidade geral, conquanto o dever adquira especificações determinadas, na pauta das circunstâncias.

Vejamos alguns dos nomes que o definem, nos lugares e condições em que somos levados a cumpri-lo:

Na conduta – a sinceridade;
No sentimento – a limpeza;
Na ideia - elevação;
Na atividade - serviço;
No repouso - dignidade;
Na alegria - temperança;
Na dor - paciência;
No lar - devotamento;
Na rua - gentileza;
Na profissão - diligência;
No estudo - aplicação;
No poder – a liberalidade;
Na afeição – o equilíbrio;
Na corrigenda - misericórdia;
Na ofensa - perdão;
No direito - desprendimento;
Na obrigação - resgate;
Na posse - abnegação;
Na carência - conformidade;
Na tentação - resistência;
Na conversa - proveito;
No ensino - demonstração;
No conselho – o exemplo.

Em qualquer parte ou situação, não hesites quanto à atitude mais elevada a que nos achamos intimados pelos Propósitos Divinos, diante da consciência. Para encontrá-la, basta procures realizar o melhor de ti mesmo, a benefício dos outros, porquanto, onde e quando te esqueces de servir em auxílio ao próximo, aí surpreenderás a vontade de Deus que, sustentando o Bem de Todos, nos atende ao anseio de paz e felicidade, conforme a paz e a felicidade que ofereçamos a cada um.

André Luiz


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário