{lang: 'en-US'}

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A cripta de Poe - Teatro gratuito no Rio de Janeiro




Espetáculo multimídia, inspirado livremente no universo do poeta e escritor Edgar Allan Poe. Tomando como sugestiva locação o Castelinho do Flamengo e suas escadarias, salões e recantos, o grupo monta uma dramaturgia inspirada não somente nos contos, mas em toda a atmosfera lúgubre reinante na literatura de Edgar Allan Poe.Com uma estrutura fragmentada, a peça faz um mergulho no desconhecido da alma humana, apresentando histórias sobre personagens neuróticos. De um lado do palco (dividido por uma tela escura, que funciona como um espelho), um homem faz movimentos de braços enquanto apresenta fragmentos de "O espectro" e "O retrato oval", obras do escritor. Para lá da  tela, outro homem mimetiza os gestos do primeiro. Aos poucos, esse "duplo" deixa de existir como corpo real para se transformar numa projeção. A peça é fruto de uma parceria entre a Cia. Nova de Teatro, que comemora uma década de existência este ano, e a Cia. Teatro del Contagio, de Milão. Em 2012, a montagem será apresentada no Festival Teatro delle Grotte, na Itália. Sextas-feiras e sábados às 21h, e domingos, às 20h, no Castelinho do Flamengo, até o dia 5. 
Classificação: 14 anos. Entrada franca, limitada a 15 pessoas por sessão (aconselha-se a chegada com 1 hora de antecedência mínima).

Eis a opinião de Erika Liporaci, através do site Arte e Subversão:

"...o espetáculo é capaz de fascinar qualquer espectador que se deixe levar pelo caldeirão de sensações proposto pelos encenadores. Com o auxílio de projeções, fumaça, iluminação tétrica, portas batendo, sons estridentes, muito pancake no rosto e preto nos figurinos, o elenco, durante pouco mais de uma hora, nos conduz a uma febril viagem pelo mundo de pesadelos e delírios do grande escritor americano. Sim, é uma peça itinerante; e esse é um dos grandes baratos: não saber o que nos espera a cada novo patamar ou salão."

"Em cena, os brasileiros Matheus Prestes, Rosa Freitas e Carina Casuscelli se juntam aos italianos Omero Affede e Carmen Chimienti para interpretar a dramaturgia criada a partir de fragmentos retirados dos contos/poemas O Espectro, Ligéia, O Retrato Oval, Berenice e William Wilson, além, é claro, da obra-maior de Poe, O Corvo. Numa boa sacada, as projeções dos textos feitas nas paredes auxiliam o público a compreender as falas ditas pelos atores italianos. Vale dizer que ambos são tão claros e expressivos que a legendagem nem me parece tão necessária, mas, de todo modo, é uma solução prática e eficiente para a platéia brasileira."
  
Sinopses das peças apresentadas no espetáculo (segundo o site Instituto Italiano de Cultura):

O Espectro
Havia sido um ano de terror. A peste arrebatara inúmeras vidas, e aqueles sete homens se encontravam reunidos, junto ao corpo de um amigo falecido, a rir e a beber. Mas nenhum terror no mundo teria sido suficiente para prepará-los para o que estavam prestes a ouvir, ao avistarem a presença daquele misterioso vulto negro.

O Retrato Oval
Em um castelo misterioso e abandonado, um estranho retrato oval captura a atenção de um invasor. Pendurado em um canto obscuro da sala em que o homem se encontrava, o sinistro retrato parecia possuir vida própria. Sob a luz de um candelabro, o invasor descobre a trágica história da bela dama retratada e do seu pintor.

O Corvo
Em uma noite solitária e triste, uma visita inesperada surpreende e terrifica o anfitrião, que se encontrava perdido em seus devaneios. Enlutado pela morte de sua amada Lenora, quando escuta um leve bater em sua porta, assusta-se. Porém, ao abrir a porta, encontra somente trevas. Ao tentar a janela, um grande corvo entra pela fresta. O seu nome é “Nunca Mais”.

Berenice
Uma doença mórbida se apossa do corpo daquela a quem chamam Berenice. Ela, que sempre havia sido alegre, jovial e vivaz, agora é consumida lentamente por uma enfermidade que suga sua vitalidade. Seu primo e futuro marido, atormentado por suas próprias moléstias e loucura, tem delírios macabros e seu único e terrível desejo são os dentes.

Ligéia
Ligéia, dotada de uma indomável vontade de viver, é uma mulher pálida e frágil, de cabelos negros e olhos grandes cor de ébano. Após a sua morte, o viúvo casa-se com Lady Rowena, uma mulher de cabelos loiros e olhos azuis, que também vem a falecer. Então, espantosas e sucessivas mutações começam a ocorrer.

-
Informações
Data: sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 - domingo, 5 de fevereiro de 2012
Horários: Sex e Sab: 21h00; Dom: 20h00
Local: Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo - Praia do Flamengo, 158 -
Organizado por: Companhia Nova de Teatro
Em colaboração com: IIC do Rio de Janeiro
←  Anterior Proxima  → Página inicial

3 comentários:

  1. Que fantástico! E a entrada ainda é gratuita!

    ResponderExcluir
  2. Estão no Rio de Janeiro? Aproveitem... o espetáculo é fantástico.

    ResponderExcluir
  3. Parece mto interessante. Ainda n li contos do Poe, mas ganhei um livro dele e vou ler em breve =)

    ResponderExcluir